sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Este aqui quebra um galho...!

Sei que existem lugares, fora do Brasil, onde se consegue achar com relativa facilidade coisas ditas "exoticas". Ao menos para os paladares habituados com coisas tradicionais, quero dizer, com suas mais de varias centenas de anos de uso.
Mas, absolutamente, este lugar nao é aqui onde eu moro! rss rss
Quero dizer que aqui na Italia, em nossas grandes cidades, ou mesmo dependendo da relaçao do povo de um determinado lugar com o mundo externo, até que se acha sim: mas pagando o preço, é obvio.
Enfim...
Apesar da in-fi-ni-da-de de queijos maravilhosos que existem por estas partes, as vezes bate uma vontade danada de cair matando em cima de algo que nos era familiar, dos tempos da infancia.
Desta vez, por exemplo, me aconteceu isto com relaçao aos numerosos queijos "tipo algum outro", que se encontram ali em Sao Paulo. E isto sem falar daqueles todos, nacionais autenticos, tais como os queijos mineiros (frescal ou curado), o delicioso catupiry (huuuum!) ou o queijo de coalho (grelhadinho!) e o queijo prato (que sanduiche bom...).
Entao, ha alguns muitos anos atras, e em uma "crise de abstinencia", eu comecei a procurar receitas de requeijoes cremosos, mas daqueles feitos em casa.
E vi de tudo, indo das mais variadas e elaboradas receitas àquelas mais banais.
Mas o meu espirito pratico, mesmo anotando quase todas elas, reservou uma atençao especial à uma delas, que vinha la do Japao, provavelmente de pessoas desesperadas assim como eu mesma... rss rss
Mas pensem, antes, que para quem tem acesso a um bom requeijao daqueles de copo, belo e pronto, é OBVIO que nada disto vale a pena, ok?
Porque muito provavelmente nao valeria nem se dar ao trabalho mesmo sendo pouco e, no fim, custaria muito mais, dada a variedade de marcas e preços que existem nos supermercados.
Ao menos que se queira experimentar a tal da receitinha que é, comprovadamente, de uma simplicidade incrivel e muito, muito satisfatoria.
Pois se resume nisto: basta bater, e misturando tudo muito bem, uma confecçao de queijinhos tipo Polenghinho com outra de creme de leite. E pronto!
Como sempre eu, querendo melhorar a interaçao dos componentes, piquei os queijinhos e misturei ao creme de leite aquecido, batendo com o minipimer. Mas, é obvio, que cada um faz como bem quizer.
Porque, como eu digo sempre, "quem nao tem cao caça com o gato". Hihihi!

4 comentários:

AndreaDomingas disse...

Oi Clau!

Quem já não passou por essas abstinências, quando vai morar no exterior? A mesma coisa acontece quando alguém depois de morar tempos no exterior, volta para o Brasil... Um conhecido disse que não aguentava mais de saudades dos queijos daqui! Hahaha!
Na Alemanha eu encontro o requeijão cremoso nas lojas de produtos árabes! O preço é aceitável.

Bjs

clau disse...

Pois é, Andrea: jogo durissimo!
E é como vc diz, pq o inverso tb é bem duro. rss
Bah! E eu nao sabia que os arabes comiam requeijao, que eu pensava ser uma coisa tanto portuguesa...
Mas esperimente comparar os dois e ver no que da, ok?
Bjs!

Anakoelho disse...

Oi Clau!
Eu ví um médico na tv falando sobre dietas com menos calorias e adorei a dica dele.
Disse que pra substituir as manteigas,margarinas e outros calórico basta misturar ricota ou um queijo frescal bem amassado com azeite e ervas de sua preferência formando uma pastinha pro café da manhã,pode usar cebola e alho no caso de um sanduíche.já experimentei e adorei,achei melhor que os usados antes bem mais saboroso.

clau disse...

Ana eu, sempre que posso, ja substituo um monte de coisa por ricota, que aqui é SUPER cremosa!
Mas o tal de requeijao nao fica tanto requeijao assim...rss
Mas, obrigada pela dica, viu?
Bjs!