quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Bom Natal e Bom Ano Novo !!


Boas Festas, pessoal !!!

Independente do credo e da convicçao de cada um de vcs, é sempre valido poder extender os nossos votos de um "Feliz Natal e um Prospero Ano Novo!", para todos aqueles com quem dividimos o nosso tempo, a nossa atençao, o nosso bem querer e a nossa saudade, tb...
Pq cada um de nòs sempre tem uma coisa boa para poder compartilhar com o proximo, independente de quem somos e do caminho que optamos por seguir...
E em èpocas especiais assim o que vale é a boa intençao em querer dividir com um amigo, nao importa quem, os nossos melhores sentimentos e as nossas melhores intençoes.Assim como o fez a pessoa que é lembrada nesta época natalicia. A qual se dedicou a fazer isto com toda a sua alma e o seu coraçao, e isto faz uns bons dois milenios atras!
O que nao invalida de maneira nenhuma que antes, durante e depois dele, outros tenham ensaiado faze-lo, tb.
Mas a realidade é que a forma nao importa tanto, ou quase nada, em confronto com o conteudo de uma mensagem que seja valida, em si: pq o valor dela reside em seu proprio significado e nao em algum lugar palpavel ou em uma suposta pessoa, em particular.
E todas as interpretaçoes, litigios e prepotencias que ela possa comportar nao a invalidam, e muito menos sao mais importantes do que aquilo que existe bem la no fundo: informar que o que conta, no fim, é o desenvolvimento da espiritualidade e procurar fazer o bem e o justo, sempre!
E que tudo começa e termina dentro de nos mesmos.
E importante saber que é "fazer o bem e nao importa a quem": vcs se lembram deste dito popular? rss.
Por isso, desejo que cada um de vcs possa sentir este espirito de fraternidade que desde sempre a humanidade tenta esquecer, qdo fecha a porta frente à todas "diferenças e inadequaçoes"...
E que este mm espirito favoreça sentir, tb, uma grande compaixao pelo seu proximo, que pode ser "diferente" de vc sim, mas que em verdade nunca deixarà de lhe ser um igual...
Tanto quanto se cre que Deus possa ser diferente qdo, na verdade, Ele sera sempre o mesmo e um sò: que é Aquele que, com a sua energia, criou todo o universo do qual nòs tb fazemos parte. Mm que sem poder entender muito bem esta coisa tanto grande para a nossa percepçao e, por isto mm, fazendo uma baita de uma confusao a respeito!... rss.
Enfim, desejo que os seus sonhos possam se averar na medida de suas necessidades, tanto qto do bem estar de todos e tb de tudo que os cerca, visando o bem comum e nao sò aquele egocentrico.
E tudo de bom é o que lhes desejo: com muita serenidade, saude e alegria!
Bjs!

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Até o Papai Noel...!?

Esta certo que esta imagem do Papai Noel, que vigora ja ha um bom tempo, foi criada nos EUA e vinculada pela gigante Coca-Cola.
E que o caridoso Sao Nicolau sendo turco, em verdade, terminou morando ali no Polo Norte, cercado de renas e anaozinhos.
Além do fato de que antes ele desfilava com outros figurinos, outras cores e em outras temporadas, tb. E por motivos outros que nao os presentes que nòs corremos atras, nos dias de hoje.
Pq dificilmente o santo seria encontrado circulando dentro de um centro comercial atras de "criancinhas boazinhas" de classe média, rss.
E 'ta certo que é super injusto, e mm incorreto, ele estar assim fazendo propaganda deste tipo e até de outras coisas mais inadequadas, por ai afora e etc e tal.
Mas que este Papai Noel é demais de fofinho, isto nao da para negar, n'é minha gente?!
E se a gente ainda souber que algumas das tradicionais musicas de Natal eram, em origem, jingles comerciais, entao...!!
Bjs!

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

77, um numero da sorte...!


Assim tanto pertinho do Natal: mas eu nao podia deixar passar em branco...!
Pq, hoje, a minha mae, Cecy, completa seus 77 anos de vida.
E se o avançar da idade ocasionou uma certa limitaçao fisica, o mm nao aconteceu com a sua alma e o seu intelecto, que estao com tudo em cima, e muito mais!
E prova que a receita meio emiliana/meio calabresa deu até que muito certo!! Hihihi.
Uma grande pessoa, uma otima mae, uma grande amiga e um apoio preciso, na hora certa. Tudo isto é a minha mae para mim e para as minhas irmas tb.
E posso dizer que ter podido usufruir de sua presença e do seu exemplo, super coerente, firme, caridoso e despojado de qq vaidade e sentimento ruim, foi para nòs, sempre, uma escola de vida.
Por isso desejo a ela os meus votos melhores e um "Feliz Aniversario"!!
Pq o tempo passa mas coisas importantes e verdadeiras permanecem.
Assim mae, o que eu desejo a vc no dia de hoje é: TUDO de bom!
E que Deus lhe permita SEMPRE ter uma excelente qualidade de vida e, principalmente, a capacidade de perceber o lado belo de tudo que existe e acontece.
E que o tempo que passou nao tenha sò aumentado a sua experiencia de vida e lhe feito uma pessoa melhor, mas que tb tenha feito bem à sua alma e ao seu coraçao, mais do que aquilo que nòs mesmos podemos perceber.
E que vc tenha muita saude, disposiçao e bom humor, para usufruir os tantos presentes com que Deus lhe tem abençoado a sua vida!
Assim como vc também se constitui em um presente na vida de quem lhe esta em torno.
Um grande beijo meu, e tb de todos os familiares e amigos que lhe querem bem!


Rir é sempre o melhor remédio...!

Hoje no blog " O buteco da Net", ali do Ig, saiu um post com fotos divertidissimas!...
Sao fotos "feminilizadas" de atores masculinos, em um moderno enfoque do velho e famoso travestimento, sempre tanto em voga em nossos carnavais, rss.
Alguns se saem até que muito bem e dao baile em muita menininha gostosinha por ai, outros nem tanto...Rss. E se pode dizer que estes sao, no minimo, hilarios! Horrorosos, a bem da verdade...hihihi.
Enfim, vale a pena dar um pulinho ali para rir um pouco e, se quizer, continuar a brincadeira acessando o site de onde estas fotos vieram.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Mais de quatrocentos anos de historia...!


Tenho o prazer de poder apresentar para voces o vinho hungaro "Royal Tokaji"!
E esta sua garrafa acima que, la-men-ta-vel-men-te, esta para terminar, é da annata do ano 2000 e de grau 5, sucedendo uma anterior que tinha grau 3.
A "3" tinha um conteudo muito mais corposo e doce que esta ultima, a "5", que eu preferi absolutamente! Dai se notando que cada classificaçao é, absolutamente, diferente uma da outra...
Mas eu, de qq maneira, me abstenho de descrever. Pq sou convicta que nao conseguiria lhe fazer jus e muito menos ser precisa...hihihi.
Este vinho, que é de produçao limitadissima, pq produzido em uma area muito restrita, ja era considerado desde o século 17 um dos melhores vinhos doces do mundo!
E como comentei, sua produçao se restringe a uma pequena area que se encontra ao nordeste da Hungria, na regiao de Tokaji.
Com uma classificaçao, que vai de 1 a 8 puttonyos, que deriva do seu grau de maturaçao que acontece em profundas cantinas, ele tem o seu preço (ja um tantinho salgado...) alçado de acordo com o seu nivel de envelhecimento em barris, seguindo determinados requisitos e particularidades que se perdem nos séculos.
Pq para se criar este vinho, de caraceristicas unicas, contribuem varios fatores. E entre estes, além daquela ja citado acima, conta muito a variedade de uvas nativas com que é produzido e os fermentos que lhe sao particulares. O que, muito provavelmente, seria provocado pela natureza vulcanica do solo e ainda os quentes veroes intercalados com outonos brumosos.
A unica produtora deste vinho, possui 80 hectares de vinhas que ja eram classificadas no século 17, se constituindo assim na mais antica classificaçao de vinhos na Europa.
E seus vinhos comprendem tb o exclusivissimo Royal Tokaji Blue Label, os crus da classe Betsek, Nyalàszò e Szt.Tamàs, além do Aszù Essencia.
Sao servidos frescos acompanhando sobremesas e foie gras mas, originalmente, eram usados como "vinho de meditaçao", remetendo à uma época onde liquores, vinhos e cervejas, eram produzidos por monges, para este fim. E quem ja "desfiou o rosario" destas preciosidades sabe bem do que eu estou falando!
E deve ser por isso que o nivel 8, tb chamado de Excelsius, é aquele consumido pelos papas.
Sabendo que o atual usa sapatos Prada de verniz, nao vejo nada de mais apropriado para se meditar, numa boa...! Rss.


segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

O Antes e o Depois...

O "antes"...
E o "depois", hihihi.

Obs: ...bom demais!!!!

domingo, 14 de dezembro de 2008

Na versao Babbo Natale!

Com um tempinho assim la fora, mais vale olhar daqui de dentro de casa, rss...
Acompanhada de um bolinho apenas saido do forno, e uma xicara do meu precioso cha mate tostado!


Obs: o bolo é uma variaçao do "bolo de fuba" onde foi acrescentado coco ralado e uva passa, banhada no conhaque.


sábado, 13 de dezembro de 2008

Enquete de Natal...

Como em todas as minhas manhas, acompanhada do meu chazinho fumegante, eu me coloco aqui lendo todo o tipo de coisas e noticias. E devo confessar que é uma mania que eu tenho deste antes de ir para a escola, ja que folheava os jornais até pelas figuras que tinha, mm que fossem, tao somente, em preto e branco...
Hoje penso que devia ser insòlito perceber uma criança super ansiosa pela entrega do jornal. E principalmente aquele de domingo que, em certa época, trazia até contos de Natal em episòdios, como por exemplo, a estòria da Rainha da Neve: uau!
Mas bem que eu ja tinha avisado que eu sempre fui meio fora dos padroes pré estabelecidos, n'é verdade...?
Enfim, leio de tudo, tudo mm. Com exceçao das porcarias mais estupidas, é obvio! Rss.
Mas me abstenho em comentar muita coisa aqui e o quanto posso: tipo aquelas coisas que me fariam "subir nos palanques", por exemplo. Mm que, propriamente, as vzs nao o consiga, rss.
Ma via dicendo: li uma coisa hoje que em um primeiro momento, com a falta de atençao, poderia parecer banal mas que, no fundo, é interessantissima, pelo que representa.
Nao sei bem o pq, mas foi estudado o fenomeno que aconteceria estritamente nas noites de Natal: boh...! Mas, de qq jeito, eu acredito que seja muito mais extenso que um sò dia.
E para isto, se basearam no uso do, simples e banal, controle remoto da televisao.
Pq: vc ja pensou como funciona o uso do poder em sua casa, se ele existe?...
Ou mm: ja observou a sua familia sob um olhar, estruturalmente, politico...?
Que tipo de dinamica familiar vigora no seu lar: a despotica ou a democratica?
Pq esta pesquisa, que é recente, avaliou um grupo grande de familias e fez um relatorio com observaçoes até que muito interessantes.
Pare e pense: quem monopoliza o controle remoto da tv de sua casa?
E se vc é assim um tipo "yuppie", daqueles que tem televisao até no banheiro, penso que tem tb outras coisas mais importantes para "pensar", hihihi...
Mundo moderno, problemas antigos!...

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Fazendo arte no Natal!


O ultimo numero da revista "A Tavola", especiale Natale, veio recheado de receitas e idéias de tudo qto é tipo.
Uma delas me chamou a atençao sobre todas as outras, pq eu a achei criativa e sui generis demais!
Pq basta imaginaçao e umas duas folhas de massa folheada cortadas como se ve nas fotos, e douradas no forno, para se construir um porta candela bem fofinho para iluminar a ceia do Natal.
E o mais importante: as crianças vao adorar ajudar a fazer!
As fotos vieram meio que um caco pq, gente, aqui esta tudo escuro ja pela manha, e a luz do dia se esforça para dar as caras, por isso: forza, va! Se esforcem um pouquinho para "enxergar" a coisa, ok?
Quem sabe se talvez nao se consiga ver melhor acessando o site da revista...?
E se por acaso nao servir para este caso especifico, ao menos sempre se pode descolar alguma receitinha boa!

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Ainda em tempo! (?)

A coisa da tal da "antecedencia" no Natal, eu sempre acreditei que devia ser uma SENHORA antecedencia, tipo assim ano inteiro, se me entendem...
Mas dentro dos conceitos normais, digamos que ainda estamos em tempo para este lado comercial da coisa. E isto pq tb, por causa do cheirinho de crise no ar, dizem que o comércio estaria antecipando os saldos pos-natal, para antes.
Nao sei da parte de vcs, mas por aqui o movimento nos negocios é no minimo tranquilissimo, muito melhor que aquele normal de tempos atras. Parece que nem as super ofertas estao estimulando as pessoas a comprar e que a maioria ira estar satisfeita em sò ter uma mesa farta durante as festas. Nao é uma coisa que fariam habitualmente, pelo contrario, mas o fato é que o $ esta curto e o pessoal, mais ansioso, esta meio que precavido.
Obvio que eu imagino que os famosos "desvairados do fim de semana" repetirao, religiosamente, a mania que os caracteriza e se farao presentes! Tirando os seus velhos carros "tipo zero quilometro" da garagem, com ajuda de algum vizinho caridoso que lhes indique à direita ou à esquerda, marcha a ré ou para frente. Para depois dirigirem, malissimamente, atè desembocar no estacionamento do shopping mais proximo, onde ocuparao duas vagas, apos arranhar as portas dos carros, ao lado. E uma vez ali, se jogarao a comprar todas as coisinhas e quinquilharias, possiveis, como verdadeiros histéricos desesperados. Hihihi !!
A gente aqui em casa, ormai, ja aprendeu que a coisa melhor nesta época é colocar presentes simbolicos ou mm qq lembrancinha sob a arvore e ir em um shopping outlet, depois, para aproveitar os saldos de fim de ano.
E isto me faz lembrar qdo nos meus 9 anos eu corria com a minha mesadinha em uma Lojas Americanas, toda euforica! E saia de la com uma bombonière estilo "bico de jaca", em plastico azul, para minha mae ou brinquinhos em perola, falsissima, para minha irma Flavia. Mais uns brinquedinhos para Paula e Renata e qq agendinha de telefones, para o meu pai e meus avos. Isto sem me esquecer do pano de pratos para a minha tia Jacy, para quem eu, ainda hoje, sou uma séria candidata ao "bebe Johnson", rss...E tudo devidamente embrulhadinho e com um cartaozinho feito a mao.
Pq a verdade é que o que contava nao era o valor da coisa, mas sim a atençao dedicada às pessoas da familia, ou amigos, a quem se queria bem.
A "lindissima" bombonière minha mae, coitada, usa até hoje, e aquele brinco fez a orelha da minha irma parecer com uma de um ogro, de tanto inchada que ficou... As bonequinhas gordinhas de plastico, por sua vez, terminaram em um estado calamitoso em um brevissimo tempo! Mas o fato é, que isto nao tirou a alegria do momento e nem a possibilidade de repetir o feito nos anos seguintes, muito pelo contrario, pq tb as minhas irmas começaram a repetir o meu gesto, todas elas. E assim trocavamos, felizes, as nossas quinquilharias todas: pq era a surpresa aquilo que mais importava!
Mas voltando ao shopping outlet: vamos ali nos primeiros 10 dias de janeiro e cada um escolhe o que quer e o outro paga. Pratico de tudo! Principalmente pq aquilo que se poderia ter pego antes, estaria custando 1/3 depois, e vc nem teria ainda usado até ali, no primeiro caso...E tb pq acabei aprendendo que, hoje em dia, é dificil que o presenteado compartilhe o gosto que vc imagina que a tal da pessoa teria e, além do mais, quase ninguém se dispoe a deixar contente quem deu um presente, desfilando a coisa por ai...rss.
Enfim, o fato é que, fazendo assim, o dia do Natal vira uma coisa de criança, essencial, basica. E com aqueles presentinhos mimosinhos, artesanais ou comprados, que toda criança gosta de fazer para dar para os seus nesta época. Ficando até mais facil para elas entender uma coisa que, qdo eu era pequena, me deixava encafifada: o pq de nos livros e nos filmes se ver Babbo Natale fazendo brinquedinhos de madeira, qdo meu amiguinho ganhava um super jipe com motor elétrico...?!! Assim, imaginava eu, que deveria existir uma outra fabrica de coisas grandiosas de uma outra parte, pensava... E pq, entao, nunca a mostravam...?!! Coisas de uma criança que queria entender tudo e terminou sendo um adulto que tb quer entender todo o resto, hohohoho!!
E repensando em tudo isto, era uma coisa que eu devia ja ter feito com meus filhos, qdo eles eram crianças, desvinculando todo este excesso de materialismo que existe nas festas de fim de ano...
Minha avò Helena, por exemplo, dizia que qdo ela era pequena nao se davam presentes no dia do natal, mas que no dia da befana (aquela bruxa velhinha da vassoura) ou dos magos, como queiram, no 6 de janeiro, as meias que as crianças tinham deixado penduradas, amanheciam cheias de frutas secas, torrones e caramelos. Nada a ver com esta competiçao entre o poder aquisitivo e os caprichos de alguem, que se tornou quase uma unanimidade no mundo ocidental...
E aqui devo abrir um parentese: pq o nosso amigo indiano Kumar (cinquentao que seria tb um budista, mm que vindo de familia hindu) é o consumista mais exagerado que eu ja tenha conhecido! Me aventando até a hipotese de que esta coisa possa, por assim dizer, ser contagiosa...!
Bem, brincadeiras a parte, o que eu penso hoje, em verdade, é que o Papai Noel devia trazer coisas simples e essenciais para as crianças, deixando os presentes exagerados para um outro dia. Enfatizando que o importante no Natal, é estar em familia, exaltando certos valores que deveriam ser lembrados durante todo o ano que esta para começar e pelo resto de suas vidas.
Bom...é isto aquilo que eu penso e sinto ultimamente.
Mas, voltando ao meu caso, precisamos ver se o meu socio aqui em casa, que tb concorda neste pensamento, se lembrara ou mm tera tempo para entrar nesta brincadeira...! Rss.
Enfim, se alguém ainda quizer fazer compras, tipo em um oasis de tranquilidade, encontrei dicas quentissimas para quem ainda vai se jogar nas lojas, antes do Natal. Tem até o preço dos estacionamentos, referentes a cada regiao aconselhada com suas caracteristicas bem descritas.
O unico pecado é que se refere sò para quem esta em SP...
Mas creio que cada lugar tem algo que informe sobre isto tb.
Porisso:


segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

No espirito das Festas de fim de ano!


Oração
(de Chico Xavier)
"Que eu continue a acreditar no outro mesmo sabendo de alguns valores tão esquisitos que permeiam o mundo;
Que eu continue otimista, mesmo sabendo que o futuro que nos espera nem sempre é tão alegre;
Que eu continue com a vontade de viver, mesmo sabendo que a vida é, em muitos momentos, uma lição difícil de ser aprendida;
Que eu permaneça com a vontade de ter grandes amigos(as), mesmo sabendo que com as voltas do mundo, eles(as) vão indo embora de nossas vidas;
Que eu realimente sempre a vontade de ajudar as pessoas, mesmo sabendo que muitas delas são incapazes de ver, sentir, entender ou utilizar esta ajuda;
Que eu mantenha meu equilíbrio, mesmo sabendo que os desafios são inúmeros ao longo do caminho;
Que eu exteriorize a vontade de amar, entendendo que amar não é sentimento de posse, é sentimento de doação;
Que eu sustente a luz e o brilho no olhar, mesmo sabendo que muitas coisas que vejo no mundo, escurecem meus olhos;
Que eu retroalimente minha garra, mesmo sabendo que a derrota e a perda são ingredientes tão fortes quanto o sucesso e a alegria;
Que eu atenda sempre mais à minha intuição, que sinaliza o que de mais autêntico possuo;
Que eu pratique sempre mais o sentimento de justiça, mesmo em meio à turbulência dos interesses;
Que eu não perca o meu forte abraço, e o distribua sempre;
Que eu perpetue a beleza e o brilho de ver, mesmo sabendo que as lágrimas também brotam dos meus olhos;
Que eu manifeste o amor por minha família, mesmo sabendo que ela muitas vezes me exige muito para manter sua harmonia;
Que eu acalente a vontade de ser grande, mesmo sabendo que minha parcela de contribuição no mundo é pequena;
E, acima de tudo...
Que eu lembre sempre que todos nós fazemos parte desta maravilhosa teia chamada vida, criada por alguém bem superior a todos nós!
E que as grandes mudanças não ocorrem por grandes feitos de alguns e, sim, nas pequenas parcelas cotidianas de todos nós! "
(trecho extraido do site da Ana Maria Braga)

domingo, 7 de dezembro de 2008

Pouco tempo, mas muito intenso...


Este era o Balthazar, no pouco tempo que esteve bem aqui em casa conosco, depois que o salvei no meio daquela plantaçao de milho. Infelizmente, ele tinha respirado esporo de mofo, tanto comum em milharais.E isto terminou por ocasionar uma gravissima e irreversivel pneumonia, que terminou por mata-lo hoje a tarde, depois de todos os esforços meu e da veterinaria, que o estava curando.
So consegui escrever agora, depois de ja ter chorado um monte...
Que Deus abençoe a ele e ao Chubby, onde quer que eles estejam.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

O mundo seria bem melhor sem os radicalismos...

As vezes eu me pego pensando em como seria o nosso mundo, e a nossa convevivencia em geral, se nao existissem uns poucos radicais que contaminam o ambiente onde vive quem quer estar em paz...
Sim, pq pessoas radicais assim constituem uma minoria, apesar de quererem que todo mundo seja obrigado a pensar como eles. E nao medindo esforços em cometer atos injustos e atrozes para obter isto, qdo se transformam em terroristas, numa porcentagem ainda menor.
O mm se aplica qdo se fala em marginalidade: qto, em percentual, representam as pessoas que se dedicam a isto, em confronto com a populaçao mundial?
A coisa absurda é perceber que é sempre uma pequena minoria em comparaçao ao todo.
Pq se todo mundo que fosse pobre, ou todo mundo que fosse religioso, agisse dentro deste desvio ou desvario, se transformariam em maioria: e os fatos mostram que nunca foi e nao é assim.
Pq entao, de repente, a sensaçao que nos assola é a de que isto parece uma coisa "gigante", entao...?
Precisamos entender o mecanismo que nos leva a sentir a coisa toda deste jeito.
Principalmente se sabemos que fazer qq coisa mal feita exige, por vzs, até mais empenho e esforço do que fazer o certo, o justo.
Talvez muitas pessoas ja estejam pensando ha tempos nestas coisas que eu digo aqui e outro tanto tb faça discursos com este teor, eu imagino.
E esta sempre foi a historia que acompanhou a ser humano no seu percurso através dos séculos, como se fosse uma coisa que estivesse arraigada na alma de cada um de nòs numa batalha pessoal, constante.
Uns conseguem mais vitorias em seus percursos verso o bem, outros, como vemos, nem tanto...
E devemos ter sempre presente uma coisa importantissima, em nossa mente: ser religioso nunca significou obter uma espiritualidade mais alta, sò pq uma coisa "deveria sempre" proporcionar a outra...
E este crescimento interior nunca dependeu de qq coisa externa para acontecer, por mais que se acredite nisto. Enquanto o resultado efetivo de que isto tenha acontecido se reflete, automaticamente, naquilo que ele ocasiona no ambiente em que se vive: e isto sim.
E além do mais, ninguém é o dono da verdade, pq o ser humano nao deveria jamais ter a pretensao de achar que aquilo que sabe é tudo, é definitivo ou correto, principalmente qdo existe a consciencia que a nossa limitaçao se restringe à poeira que representamos diante deste universo imenso e da força que o rege...
E infelizmente, até muito antes da era das cruzadas, o homem justifica genocidios e desumanidades em nome do "seu" Deus, se alçando a condiçao de um seu porta voz e guerreiro, aqui neste planeta...
E isto é uma coisa que nao acontece sò no ambito de um estado, de uma etnia ou uma facçao. Acontece até em nucleos menores, de senso publico, empresarial ou eclesiastico. Mas o pior de todos, ainda, é aquele que se verifica no seio de algumas familias: pq o fenomeno é extenso e abrange todos os setores, infelizmente.
Quase ninguém quer que seja assim e nao o aceita , mas o fato é que estes poucos maus "uns" possuem uma virulencia espantosa!!...
E ver que todo mundo esta contra sò faz com que eles se tornem mais perigosos e irraciveis.
Para ilustrar parte disto de que falo, leiam este post que saiu no jornal o "Estado de Sao Paulo", hoje.

obs: esta guirlanda, aqui ilustrada, eu fiz com as flores obtidas do recorte de lacres de iogurte coldas sobre um aro feito em uma caixa tetra pack.


quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Finalmente um "escondidinho" !!

Heresias a parte, eu precisava muito fazer um escondinho.
Afinal, ficava passando uma vontade danada vendo esta coisa no blog de todo mundo e...nada!
Carne seca aqui sò presunto cru mm, entao estava até pensando em usar uma outra no lugar.
Mas nao é que o freezer estava assim rico de opçao, pq a verdade é que para fazer o tal do prato tinha sò a mandioca e a minha gula...
Dai, estava para usar carne de coxa de peru, qdo lembrei que o socio prefere atum, sempre.
Entao foi de atum mm, fazer o que?...
O bom é que por aqui o atum em lata é sempre da melhor qualidade, um naco inteiro bem firme e além das apresentaçoes conhecidas, tem tb ao olio extra vergine, mas eu usei o natural mm.
Sò que saltei na panela com bastante cebola roxa e um pouquinho de alho e um tesquinho de pimenta vermelha, imaginando o qto seria bom isto com carne seca desfiada: hum...
Nada a ver!
Fui em frente.
A mandioca nao era daquela amarela, maravilhosa, que vem direto ali da Africa.
Mas remediei com uma branca que vem do Equador, maldizendo interiormente a mudança do fornecedor, talvez ocasionada pelo mar de equatorianos que existem por estas paragens...
E nao tem comparaçao nem no sabor e nem na textura, mas é sempre mandioca.
Cozinhei e amassei com um pouco de manteiga boa, outro pouco de creme de leite e razoavel colheradas de parmigiano.
Fiz os extratos intercalados, cobri com mais parmigiano e levei para dourar.
E apesar de ser uma coisa pra la de remediada, de se comer escondido dos puristas e dos radicais, até que ficou muito bom!

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

...direto ali da "Terra do Nunca"

Eu sou uma que as vzs preciso de anos a fio para "cair a ficha", apesar de parecer uma assim muito esperta e sabida, hihihi.
Principalmente pq, nao importa o departamento, qdo me comprometo com qq coisa que seja, me empenho até o fim por isto. E sem nem olhar para os lados, numa atitude quase que religiosa, para nao chamar de exagerada.
E é por isto que eu, dificilmente, saio por ai prometendo coisas!
Um dia isto pareceu uma grande qualidade, mas eu mm, agora, vejo é como um baita de um defeito, isto sim, rss.
Pq as vzs se termina sendo cumplice da propria ruina, sem nem mm perceber, como se diz por ai.
Mas quem conhece sabe que a natureza de um virginiano é assim: companheiro e braço direito incansavel das pessoas a quem quer bem ou com coisas com que se comprometeu. E, azar dos azares, eu sou virginiana em dobro, minha gente...!
E foi uma coisa que eu descobri qdo buscava compreender o pq das coisas: um meu outro defeito,hihihi...
Em livros, auto-analises profundas, pesquizas na internet, com pessoas especializadas, exemplos similes e etc e tal: lançando mao de todos os recursos.
Enfim...
Dai, nada de se espantar que eu tenha passado pela vida um pouco alheia às coisas que sucediam, realmente, com quem me estava ao lado, e a verdade é que fiquei "marcando bobeira" acreditando em principe azul por quase uns 30 anos seguidos: dureza n'é...!?
Qdo era uma garota novinha de tudo 'ta bem: passa,vai!...
O duro é ter que explicar todo o tempo depois: e deixa pra la...
Hoje eu nao me envergonho mais disto, mas devo confessar que um dia me envergonhei e muito, deste meu estilo tonto de ser, hihihi.
Estou mais "esperta" , como é obvio de se esperar, mm pq mais consciente de que ninguém é imune a nada, o que nao deixou de ser um grande progresso!
Principalmente pq, la bem no fundo, uma como eu (...que adora contos-de fadas!) nao deixaria nunca de acreditar nestas coisas encantadas, abracadabras ou, mm, no bom e velho pò de pirlimpimpim ou mm varinhas de condao.
E nao se esqueçam de que, qdo era pequena, mantinha uma malinha pronta, embaixo da cama, para qdo Peter Pan viesse me levar para a Terra do Nunca: meiguinho, vai...!!
E olha que eu até que fiquei craque em costurar as sombras de muita coisa.
Alguém perguntaria pq estaria falando, hoje, destas coisas em primeira pessoa: nao é nada nao minha gente. Pq aguas passadas devem ser sempre sinonimo de se aprender alguma coisa de util.
Sò acontece é que acabei de ler um post interessante, e muito esclarecedor, dentro deste argumento que afeta, afetou, ou afetarà, uma grande parte dos romanticos e dedicados que podem estar lendo estas minhas linhas.
E do fato de ter descoberto que a verdadeira terra do nunca é aqui mm.
Enfim, se nao real para alguém, nao deixa de ser divertido e eu recomendo a leitura.
Pq prevenir é sempre o melhor remédio,rss.

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Como em um conto de fadas...


Melhor avisar todo mundo, que ainda nao sabe, que chegou a minha época do ano favorita.
Faça sol, neve, esteja triste ou contente, em familia, sozinha, nao importa: desde que era uma menininha que sou apaixonada por todo este folclore natalicio que impera neste nosso mundo ocidental.
Nao me diz muito a parte comercial em si, mas o espirito que inunda o ar. Isto pq seria como se estar vivendo dentro de uma fabula. E eu era uma consumidora voraz e fanatica delas, torrando toda a minha mesada em livros variados, com tudo qto era fabula possivel.
Por varias vzs tb, confeccionei à mao dezenas de cartoes de Natal, desenhando e colorindo um por um, sem descanso, para enviar a amigos e clientes do consultorio.
Por ai vcs podem entender a minha fixaçao, que culmina com muito brilho, comidinhas pertinentes, sininhos, musicas, bolinhas mil, laços e mais fileiras e fileiras de leds e luzinhas piscantes...
Pq eu TENHO que aproveitar o unico periodo magico do ano, n'é minha gente...!!
E tb revezar todo o meu estoque de tranqueiras natalicias!
E ajuntemos a isto que aquilo que eu "enxergo" nesta época quase ninguém ve...
Nem mm os meus filhos, qdo eram pequenos, compartilhavam de todo este meu entusiamo, que acredito nao ser genético...hihihi.
Mas ao menos entro no ano novo ainda animadinha para enfrentar os iptu, taxas e declaraçoes de renda do mundo real, que sempre nos recepcionam no ano que se inicia.
Bem, entao é isto: comecem a desculpar os meus possiveis excessos, ok?
Principalmente pq eu me "segurei", por aqui, atè dezembro, cravado!


sábado, 29 de novembro de 2008

Dificil se posicionar ou "colirio nos olhos dos outros é refresco"...


Interessante ver que existem pessoas que agem fazendo coisas absurdas com outras pessoas, sem ao menos parar um segundo para pensar, senao aos seus proprios intentos.
Nao se imaginando, nunca, estar na pele desta outra pessoa, dentro daquilo que se diz de "nao se fazer ao proximo aquilo que nao queremos que se faça a nòs proprios".
E nem entremos no mérito da natureza humana, ou mm do fato dela ser a unica possuidora de uma inteligencia previlegiada ou, entao, da potencialidade, em numero e grau, daquilo que pode ocasionar de mal, em diversos "outros departamentos", como bem sabemos...
Mas na maioria das vzs, e deixando as "banalidades" a parte, frente às estas coisas horripilantes e condenaveis que o ser humano pratica temos sempre a impressao de que atos hediondos assim até que valeriam uma pena capital.
Deixando de perceber que a verdadeira e justa condenaçao nao é esta.
Pq se a consciencia de uma pessoa que pratica um ato maldoso contra o seu semelhante nao a faz cair em si e se arrepender sozinha daquilo que fez, o sentir na propria pele talvez fosse uma coisa muito "didatica".
Obvio que mais que a aplicaçao de uma pena capital, nos causaria estranheza e até asco, imaginar se reproduzir nesta pessoa aquilo que ela teria provocado em outra.
Pq na nossa cabeça, fazer justiça nao tem nada a ver com refazer, ou provocar, um ato condenavel.
E para isto bastaria relembrar as sentenças precisas que emitia o rei Salomao e o impacto que estas causavam, fazendo com que tanto vitimas, réus ou mm requerentes caissem em si.
Em resumo, e de uma maneira simplista, seria algo assim.
Mas voltando ao nosso caso de condenar o feito e renegar a açao, nao foi esta a decisao tomada ali em Teera para punir um homem, que agrediu de maneira barbara uma jovem que o rejeitou.
Em um primeiro momento fiquei chocada com a decisao do tribunal iraniano, mas depois comecei a achar que teria, sim, a sua logica.
E que uma pessoa que nao tivesse como natural agir corretamente aprenderia a fazer-lo, estando na pele da sua vitima.
Pq a tal da coisa do "olho por olho e dente por dente", as vzs teria a sua razao de ser...
Para dar uma olhada melhor na noticia:

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Ja acabaram...


Como eu tinha dito, uns posts atras, as maças Pink Lady nem chegaram e ja sumiram!
Era tempo de colheita de maças, que vem principalmente ali do Tirol, e o supermercado ainda esta cheio de oferta delas e de todos os tipos.
Mas nao tem jeito, nao.
Durante dois dias se achou a pink lady, mas ja no terceiro eu tive que comprar das Fuji.
E terei que procurar bastante para comprar ainda alguma remanescente. E a minha ultima esperança é um senhor que tem uma grande plantaçao, aqui perto: torço para que plante a pink lady, tb!!
Eu nao tinha dito!?
Todo ano é a mm coisa...
Buaaaa!...
E ja que elas duram quase um ano fora da geladeira, penso que da proxima vez é melhor eu reservar um carregamento delas para me garantir, hihihi!
PS:
Em tempo: as maças Fuji, fresquissimas, também estao excepcionais!!
Obs: a barriga desta bonequinha ai da foto eu enchi com uma rolha de prosecco.

domingo, 23 de novembro de 2008

Brioche Morave


Agora com o frio que esta fazendo por aqui, estou usando bastante o meu forno, que por acaso é eletrico, mm que os acendedores sejam a gas.
Fiz estes muffins salgados com queijo tipo regular e pimenta cerejinha cortados em minimos cubinhos, além de mais uns temperinhos a gosto. Salpiquei com parmigiano e pronto. Nao precisa receita pq é sò adaptar aquela do seu muffin preferido e, se quizer, reforçar a massa com uma ponta de bicarbonato de sodio.
A receita da rosca eu peguei no Papilles e Pupilles, tempos atras, e da primeira vez que fiz ficou um caos, pq penso que como pede batatas em flocos, eu errei na hidrataçao. Mas como a receita parecia promissora, apesar de mim, refiz de novo para confirmar.
Resolvi dar-lhe uma outra chance (a mim mm, eu creio...): é isto! Rss.
Confesso que esta tb nao teria vingado se nao fosse pela ajuda da miraculosa forma de silicone, dado que desta vez a massa ficou uma "meleca"...
Mas nao se assustem nao, que o resultado ficou MUITO bom, mm!
Pq a coisa é que desta vez eu resolvi parar de acrescentar farinha, ja que da outra, visando obter a todo custo a tal da "bola elastica", acabei ficando com uma massa bonita mas que era uma droga.
E no fim, o resultado que obtive, desta vez, foi que ficou parecendo com um daqueles bolos alemaes feitos com levedo de cerveja mais que com uma brioche, mas como eu peguei a receita em um site frances, é assim que eles chamam a coisa. Umida, macia e delicada.
A Moravia, para quem nao sabe ou que como eu, qdo era pequena, achava que era um pais imaginario de conto de fadas, em verdade existe e é uma titiquinha de um pais da Europa Central. Mas que nao creio seja assim um must turistico de modo que muitos se restrigem a fazer as suas roscas e basta.
Para mim. de qq maneira, a minha preferida sempre foi uma rosca romena/hungara, de uma receita que me foi dada por uma senhora ebrea e que é simplemente perfeita!
Assim, começo a acreditar que ali naquele miolo europeu exista um criadouro de paes doces maravilhosos!
Brioche Morave au sucre e a la cannelle
100 ml de leite
2 colheres de sopa de manteiga amolecida
30g de açucar
15g de flocos de batata desidratada
200g de farinha
1 colherzinha de café de fermento biologico seco
1 pitada de sal
Pegar um recipiente e, em um primeiro passo, hidratar a batata com agua morna até deixar com aparencia de batatas apenas espremidas, nao com cara de "pure": uma pasta morbida mas nao muito mole.
Misturar bem o fermento seco e o açucar nesta caminha de batatas, morninha.
Acrescentar o resto e misturar bem.
Deixar coberta descansando até dobrar de volume.
O segundo passo seria trabalhar a massa para tirar o ar e arrumar na forma, mas como ela estava muuuito grudenta demais, dei uma manipulada nela acrescentado sò pouquissima farinha, ajudada por uma espatula "pao duro".
E arrumei nao forma de silicone assim mole mm, sempre com a ajuda da espatula.
Coloquei por cima uma "trilha" do creme feito com:
2 colheres cheias de manteiga
2 colheres de açucar
e bastante canela
E deixei descansando mais uns 20 minutos enquanto esquentava o forno a 180°C.
Dai, é deixar uns 20/30 minutinhos no forno, sem ventilaçao, até que ela pegue uma corzinha.
Enquanto estiverem fazendo a brioche, nao se intimidem pela cara de falimento da coisa, nao...!
Pq mm que nao se tenha a forma de silicone, uma bem untada resolve igual o problema.
E no caso de se ser uma "formiga", de uma caprichada na quantidade de açucar, pq a minha ficou levemente adocicada, como é do nosso gosto aqui em casa.
E o cheirinho da canela no ar é uma coisa que, para mim, tem tudo a ver com o Natal!!


quinta-feira, 20 de novembro de 2008

E nao é que é mesmo...!

O famoso "griffo", simbolo de Perugia.
"Ogni generazione ride delle vecchie mode, ma segue religiosamente le nuove".
Esta frase estava hoje ali no orkut e as vzs até que escapam umas muito boas.
Seria assim: cada geraçao ri das velhas maneiras, mas segue religiosamente as novas...
Pois é...

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Que lambrusco vc anda bebendo...?

Sei que é mais facil e que quase sò se acham lambruscos de pouca qualidade e, ainda por cima, doces, ...argh!
Sem ser assim "bairrista" quero defender um vinho que pode ser excepcional, se a gente compra aquele certo.
Pq nao tem nada como poder saborear um lambrusco daqueles "como manda o figurino", para poder apreciar todas as qualidades que um autentico lambrusco deve ter.
E este Grasparossa prova isto.
Um vinho que na Emilia Romagna é meio como "coca-cola", rss, assim como diz o rocker Ligabue em uma sua musica famosa: ..."lambrusco e pop corn"!!

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Gnocchi di patata al gorgonzola

Gnocche de batata, nhoque em portugues, sempre foi um prato forte no cardapio da minha familia.
Mas daquele feito em casa.
Numa açao "vapt-vupt" que sò a minha avò e a minha mae conseguiam reproduzir, que eu mm sempre corri atras daqueles bons mas ja prontos.
Entra ano, sai ano, ainda tento mas nao consigo fazer nhoque direito, pq ja começa que nem sei comprar a batata certa...
Qdo eu era pequena queria muito ajudar, pq parecia divertido demais! Mas o fato é que minhas "cobrinhas" saiam um terror e isto me limitava em sò passa-los no garfo para que eles ficassem rigados. E como este passo se esvaneceu com o passar do tempo e foi eliminado, fiquei sem a minha funçao, qdo eles eram feitos...
Por aqui é muito dificil comprar gnocche que nao seja bom, mm que as vzs isto aconteça, é logico!
Entao, me poupo da vergonha de nao ter mao para fazer os meus proprios.
Antes eu elegia como meu molho preferido, para acompanha-los, aquele à base de frango e tomates.
Hoje, sem sombra de duvida, concordo que o melhor modo de faze-lo é ao gorgonzola.
Aqui eu abro um parentese para dizer que meu pai era um fanatico por este queijo e tb pelo roquefort. Mas eu nem abria a geladeira qdo sabia que "eles" estavam la dentro: esta era a minha relaçao com estes queijos, embora eu tivesse o camembert como um meu preferido.
Mas passando do inodoro Bonjour para aquele danados que vem ali da Normandia e que empesteiam o ar de quem respira, hihihihi, comecei a repensar a coisa toda.
Aqui existem gorgonzolas para tudo qto é gosto e nariz.
Pq existem em diversas estagionaturas: dolce, misturado com mascarpone, muito envelhecido e "cosi via". Enfim, fica ao gosto do fregues.
Dai, é outra receita que serve mais de sugestao, servindo como base para as idéias e as possibilidades que se quizer ou consiga ter.
Mas vale provar, pq é a coisa mais facil e com o melhor resultado que eu conheça, me acreditem, Assim como se um tivesse nascido para o outro.

Gnocche al gorgonzola
400g de nhoque de batata, cozido e escorrido
200g de gorgonzola, dissolvido em
100ml de leite, ou creme de leite ou mm mascarpone
Enquanto se cozinha o nhoque em agua abundante e ligeiramente salgada, em uma frigideira grande se dissolve o gorgonzola no leite, ou no que preferir.
Se deixa evaporar um pouco o liquido do queijo, até que ele comece a querer grudar no fundo da frigideira.
Apenas os nhoques comecem vir à tona, se escorre a agua e se joga no queijo, procurando envolver bem cada um deles.
Servir bem quentinho.
Bom demais!...

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Ups! Nao deu para resistir...

Guizado de carne de javali puxadinho no vinho e no ginepro (ginger) feito pelo "secondo cuoco " ali do restaurante do Gianluca: huuum....!

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

O tal do colégio eleitoral americano...

O colègio eleitoral americano, com raizes em um passado ja meio remoto, foi o responsavel por favorecer a primeira eleiçao de Bush, se contrapondo ao resultado do entao plebiscito popular.
Desta vez a votaçao de seus delegados acompanhou a decisao dos eleitores.
Esperemos que este maciço consenso geral signifique a vontade real de se estabelecer uma politica coerente com o mundo em que vivemos hoje, inteligente, moderna e tb justa.
E que se consiga anientar as forças e os interesses contrarios a isso.
Historicamente ja ficou constatado que os democratas americanos sao muito mais habeis em tirar o pais dos "buracos" de ordem economica ou na politica externa, que os republicanos quase sempre deixam de legado...
E tudo isto é o peso daquilo que Obama representa na esperança de grande parte do povo americano, ainda tendo todos nòs, que observamos, como uma sua torcida!

Entenda um pouquinho mais sobre o Colegio Eleitoral Americano:
http://colunistas.ig.com.br/fronteiralivre/o-peso-de-cada-estado-no-colegio-eleitoral/

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

O que se espera...?

O resultado tende a nos fazer antever mudanças, mas sera que as expectativas se farao como se espera...?
Seria a cor da pele aquilo que faz um ser humano ser diferente do outro ou aquilo que conta, realmente, é a consciencia que cada um carrega dentro de si mm?
Acompanhe esta fase de transiçao da politica americana, que termina sempre por afetar o resto do mundo, e prepare-se para tirar as proprias conclusoes sobre este assunto:
http://www.estadao.com.br/internacional/

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Da sustentabilidade e outras coisinhas mais...


Desde garotinha, e nem me perguntem o pq, sempre me senti incomodada com o modo que a espécie humana se utilizava do planeta e de tudo que ele porta.
Obvio que eu sendo uma criança, nao estava prestando atençao aos problemas socio-politicos que agravariam amplamente aquilo que eu conseguia perceber no meu pequeno universo infantil.
Mas o fato é que eu era revoltadissima, e até causava estranheza aos adultos com os meus veementes protestos. Mas é que eu nao conseguia me conter frente a pessoas que maltratavam plantas ou animais, ou mm que excluiam crianças, e até mm mulheres, de serem ouvidas ou participarem das atividades sociais, ou vitais, da comunidade a que pertenciam.
Pq sempre me foi inadmissivel pensar que sò uma pessoa, ou mm sò um grupo especifico, pudesse prevalecer sobre uma maioria e terminar por determinar como deviam ser as coisas. Sem nem ouvir, ou respeitar, a vontade da maioria ou quanto mais ainda, "ouvir" o ambiente onde ela vivia.
Os tempos eram outros. Sim...
Mas nao sendo mais aqueles tempos e tendo mudado as pessoas: sera que a coisa mudou efetivamente, sera que melhorou mm...?
Ou que os ditos 1°, 2°, 3°, "mundos" sao assim tanto diferentes, de verdade?...
Que sao as culturas mais atrasadas que aquelas ditas evoluidas, aquelas que se relacionam pior no que diz respeito à exploraçao dos recursos naturais? Sera mm...?
Pq: o que define quem é melhor ou quem é pior?
Enfim, intuir todas estas respostas, me faz pensar profundamente.
E o indicio que aparece é o fato de que a minha preocupaçao, com o que anda acontecendo no planeta Terra, aumenta cada dia mais.
Principalmente qdo se ve que o seu atual ciclo de aquecimento esta sendo exponencialmente potencializado pela açao deleteria decretada por uma parte contra o todo.
Mas me pergunto, tb: até quanto nòs podemos ocupar todos espaços ditos disponiveis ou todas as reservas "disponiveis"?
Em tempo: disponiveis para quem ou para o que?
E façamos um parenteses nesta parte pq: ...xiii, nem entremos nos detalhes da época dos ditos "descobrimentos"minha gente, pq nossa mae...!!...
Retornando: o quanto precisamos consumir para atender às nossas necessidades superfluas ou o qto devemos devastar, na voraz corrida para acumular riquezas e manter um conforto fora dos limites?
E assim vai!...Pq a coisa é longa e complexa.
Pq o fato é que podemos desfiar tantas e importantes outras perguntas a mais que estas.
Mas o fato é, que tem umazinha que se mantem em minha mente desde qdo eu me concientizei de fazer parte deste nosso mundo, e é: "mas quem foi que nos deu a permissao de achar que este planeta nos pertence e que podemos nos servir dele à exaustao, qdo existem tantas outras formas de vida que o povoam?"
E pq a nossa tanto exaltada "inteligencia", que as outras espécies nao disporiam, nos faz ser a pior a que este pequeno corpo celeste teve que afrontar nos seus zilhoes de anos de existencia, quase como se fosse um tipo de "cancer", de neoplasia maligna?
Eu, pessoalmente, penso que a resposta possa estar intimamente relacionada com uma frase que disse Albert Einstein: " a inteligencia tem os seus limites, mas a ignorancia pode ser infinita...".
Pq a responsabilidade se sermos a unica especie provida desta tal inteligencia, acarretava tb o fato de ter que se administrar, de um modo sabio e com bom senso, a santa ignorancia que tb fazia parte do pacote.
Mas penso, olhando os nossos anos de percurso verso à nossa espetacular evoluçao, que o score nao nos esta muito favoravel, no final das contas.
Mas vcs nao se influenciem pela minha visao dos fatos e nem mm pelas minhas palavras, nao.
Recomendo que, para ouvir alguma coisa mais pé no chao, e clara, dentro disto que estou acenando, que vcs leiam um artigo muito esclarecedor da jornalista Andrea Vialli, que é uma especialista em sustentabilidade, ok?
E se nao acreditarem nos dados que ela expoe, ao menos prometam pensar com carinho na coisa ou mm, se informar melhor.
Pq estarmos conscientes do que estamos fazendo por aqui, pode ser muito mais importante do que possamos imaginar.




sábado, 1 de novembro de 2008

Da dor no coraçao da gente...


Chubolinha em um dos seus momentos "descabelados", mas sempre com aquele seu olhar tenero, que sò refletia o que ele era: nosso grande companheiro durante todos estes 14 anos em que pudemos usufruir de sua presença e de seu amor incondicional. Nossas saudades...


"L'amore non conosce la propria profondità finchè non giunge il momento della separazione"...
Kahlil Gibran


sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Pra se ver com microscopio...

Este buquezinho é cheio de florzinhas tanto, mas tanto pequenininhas que eu, que nem tinha levado a minha lupa, nao conseguia ve-las direito... Enfim, assim como eu fiz, vcs tb acreditem que DEVEM ser lindinhas, como sempre sao estas coisinhas miudas espalhadas pela natureza...

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Coxinha de galinha, paçoquinha e maria mole

Bom minha gente, existe uma explicaçao para as minhas caucasicas coxinhas e o elenco de coisas podia ser muito mais longo que o do titulo ali em cima. Sem falar que as possibilidades podiam ser tb muito diferentes, dependendo de onde um esta.
Em provincia, no meio do mato e num lugar que preza tanto a tradiçao, nao diria que seja facil poder encontrar, e ja feitas, algumas coisas que seriam tao assim normais de se comprar nas esquinas ou nas gondolas do super mercado...
Entao aqui comigo funciona simples assim: se quer, faça e se nao tem, adapte.
E entao, sem sequer poder supor de um dia ter que me jogar a experimentar fazer coisas inéditas e que eu nunca tinha feito na minha vida, me vejo tendo que apelar para a minha memoria familiar de um tempo onde nem o Danone existia. E assim, recorro à minha mae!
E termino adaptando o seu "olhometro culinario" aos meus levantamentos bibliograficos pq, afinal, ter feito faculdade deve servir para alguma coisa n'é verdade?...
A coisa é a seguinte: minha mae me explana o assunto e eu, regina das medidas precisas, vou atras das especificaçoes técnicas para ver no que da.
No caso de eu estar com uma saudade louca de comer coxinhas, terminei achando as indicaçoes ali na Palmirinha, da tv Gazeta, pq era aquela que mais se avizinhava da lembrança que o salgadinho me tinha deixado na memòria.
E como a minha vontade foi uma coisa assim meio de impulso, aviso que fui obrigada a fazer certas adaptaçoes com aquilo que tinha em maos. Mas mm assim imagino que, com tudo certinho assim como ela pede, ficaria mais que perfeita!
A minha ficou boa: branquinha sim, mas boa. Pq peru nao é frango, flocos de batatas nao sao batata e a farinha de rosca daquela torrada por aqui na tem, entao...
Bom, entao vcs façam como manda o figurino e ficara deliciosa!
E eu que nem pensava que fosse tanto facil assim, que sempre comprei semi pronta ou prontissima! E me pergunto: sera que ainda existe aquela ali da Sadia, que era até bem gostosinha?...
Em tempo, a receita daria para 45 coxinhas pequenas, mas eu fiz grande e deram 15 unidades.
E tb nao fritei: taquei tudo no forno mm.
Deve até ter alguém pensando que estou passando gato por lebre, mas nao se preocupa nao!
Vcs verao na foto que, ao menos na forma. eu caprichei um monte!
Pq se é para tapear a coisa tem que ser feita à "regola d'arte": se nao onde fica o poder da sugestao, nao é verdade...?
A Palmirinha, que eu nem sabia quem era, encontrei através do Google. E adorei a sua carinha assim de "avò da gente", o que me deu a certeza que ali teria a receita que faria o meu caso e, por isto, lhe agradeço muitissimo.
Afinal, quem fazia salgadinhos maravilhosos e de proprio punho, eram mesmo os meus avòs maternos: o vo Luis e a vò Helena, cuja casa seria um "paraiso gourmet", pra dizer o minimo!
Mas isto tudo faz parte de coisas que permanecem ali na minha memoria e que um dia eu conto para vcs...
Coxinha de Frango
1 peito de frango
1/2 litro de caldo de frango e mais um cubinho de caldo de galinha
2 colheres de sopa de manteiga
1/2 xicara de parmigiano ralado
2 batatas cozidas e amassadas
400g de farinha de trigo
sal o qto baste
Cozinhar o peito de frango com uns temperinhos e reservar o brodo do cozimento.
Desfiar o frango e depois fazer um refogadinho bem saboroso e corposo, com ele.
Eu terminei por derreter, no refogado, um tipo de queijo que tem aqui, sò para dar a ilusao do catupiry. Porisso, vejam vcs, ok?
Peguem o brodo do cozimento do frango, se precisar coem, acrescentem o cubinho de caldo e a manteiga e levem ao fogo até ferver.
Dai, jogar toda a farinha e o queijo, mexendo vigorosamente por cerca 5 minutinhos, até desgrudar da panela.
Despejar a bola obtida em uma superficie lisa e agregar a batata amassada, homogenizando muito bem.
Tente dividir a massa +- em quantidades iguais, modele e recheie as coxinhas.
Passe-as no ovo e na farinha de rosca.
Se quizer frite e se nao, leve-as ao forno pré aquecido a 200°C até dourar.
E esta pronto.
Nao é complicado e é até que rapido.
Mas nunca sera como dizer: "me ve ai 1 coxinha, por favor"?!

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Algo singelo, para dedicar ao Chubby

Esta foto desta singular florzinha do campo, em meio às folhas outonais, eu dedico ao bom e velho Chubby. Nosso companheiro de tantos anos e o cachorro mais bonzinho que alguém pudesse ter tido...

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Falando de peras e maças

Nesta foto se pode ver a que, para mim e mais um monte de gente fanatica, é a maça mais saborosa do mundo: a Pink Lady.
Estas eu trouxe diretamente de uma plantaçao delas ali no Tirol e estavam fresquissimas.
Mas devo dizer que, assim como a Fuji, ela dura tantissimo e mantém o seu sabor e textura por um longo, digo longo mm, periodo.
E é crocante e sucosa, sempre: nao decepciona a gente nem qdo esta "velhinha", ali na fruteira.
Gente, estou falando de coisa de mais de mes. E que me lembre passou de dois, com certeza.
Pq carregamos um estoque enorme e comemos, sem nos decepcionar, até a ultima delas.
E olha que nao estiveram na geladeira, em nenhum momento!
E mm sendo dificil de entender como é possivel, é uma fruta que nao deixa a gente sò satisfeita, ou contente, nao: da prazer...!
Digo isto pq nao tem como descrever: precisa experimentar.
Assim se comprova que nao é que eu estou exagerando ou mesmo delirando, ok?
Sim... de maças existe uma variedade incrivel, é verdade. Mas a grande maioria é super boa, boa ou satisfatoria que seja, apenas até um pouco depois de terem sido colhidas.
Pouquissimas delas resistem por um razoavel periodo de tempo e, neste caso, devemos dar um crédito para a Fuji e a Gran Smith que tb sao muito saborosas. E, com permissao, até mm a manjadissima Gala, que termina perdendo o seu gosto e parte da textura sim, mas va la...tb dura um tempao!
O que me deixa frustada, devo admitir, sao aquelas que ontem eram boas e hoje estao farinhentas: tipo, por exemplo, a Starck. Pq faz parte das maças que se vc marcar bobeira, perde aquele unico instante em que elas estariam perfeitas...
Uma maça assim, devia vir com aquele trocinho, igual ao peru da Sadia, que avisa a gente que a coisa esta pronta, senao...
Pq penso que isto se relaciona e me recorda uma época , qdo era bem garotinha, que todas as maças eram importadas e vinham envoltas em um papel de seda azul: misteriosas, belas e... farinhentas. Sem exceçao.
Dai eu decidi, aos 3 anos de idade, que so gostava de peras e me esqueci delas por anos e anos a fio: a decepçao tinha sido MUITO grande.
E foi assim até que um dia, ja na faculdade, tive o prazer de morder uma maça Fuji vinda diretamente ali de Santa Catarina. E fiquei pasma... sem entender o suco que me escorria pelo queixo, pq : o que era aquilo...?! Que maravilha...!
Ai é que me caiu a ficha e eu entendi que até aquelas maças hungaras, que vinham em um navio frigorifico envoltas em seda azul, tb elas um dia deviam ter sido maravilhosas, correspondendo ao entusiasmo que a literatura lhes dedicava!
E se ve!...
Pq qdo é epoca da colheita da Pink Lady, se um nao é esperto, se termina por ficar sem ela. Pq simplemente ela SOME do mercado, assim como se fosse dia de uma super liquidaçao de fim de estoque.
E para a tristeza dos retardatarios, que depois tem que contentar com as outras variedades que sobram, e ficar na saudade...
Obvio que até a Gala, por aqui, tem um sabor especial e é muito boa e esforçada, até.
Mas a Pink Lady é UNICA: me acreditem.
Apesar de praticamente nao se conseguir ve-la no mercado interno, o Brasil é um de seus produtores (em quantidades meio que modestas, mas é) e a exporta inclusive aqui para a Europa.
Mas esta maça è uma criaçao desenvolvida ali na Australia, utilizando duas outras variedades, que eu nao me lembro agora, mas que quem estiver curioso e quizer se informar, basta dar um pulinho la no Google, por exemplo.
Como tb disse que falaria de peras, aquela outra "maça", a amarelinha, é na verdade uma pera: a Nashi.
De origem asiatica, tem uma textura diferente e um gosto delicado.
Posso dizer que é interessante sim, mas nao é que se diga "oh!" ou alguma coisa do genero.
E dentro do meu enfoque aqui, gera mais curiosidade que prazer. Hihihi.
Muitos que frequentam o bairro da Liberdade, ali em Sao Paulo, podem ja te-la visto e, levados eles tb pela curiosidade, terem até experimentado uma.
Mas me perdoem os entusiastas dela que, da minha parte, merece sò um paragrafo.
Vai...!
Os meus paragrafos tem o seu numero proporcional ao qto sou fanatica pela fruta à qual dedico minha exaltaçao toda...
Entao estamos combinados: Pink Lady.
Lembre-se deste nome!
Pq nao se pode morrer sem ter ao menos experimentado uma.

PS:Informaçoes compiladas da publicaçao"Ciencia Rural"da Universidade Federal de Santa Maria, no Rio Grande do Sul/Brasil, em maio/junho de 2005, pelos pesquizadores: Brackmann, Guarienti, Saquet, Giehl e Sestari.
"Variedade desenvolvida na decada de 70, na Australia, do cruzamento da Golden Delicious com a Lady Willians.
Fruto saboroso, sucoso e de polpa firme, com um altissimo potencial de armazenamento, em condiçoes ideais e fora de frigorificos, pode chegar a ficar estocado por até 8 meses.
O seu plantio se extendeu pelo mundo apenas recentemente, nestes ultimos anos.
E de todas as maças exportadas pelo Brasil, por exemplo, ela representa sò 5%."

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Esta nao foi uma minha arte...

Penso que aqui na Umbria o pessoal é maniaco por frutos do mar exatamente pq aqui NAO TEM MAR: mas fazer o que!...
Os saquinhos com estes mariscos chegaram aqui em casa pelas maos do Gianluca, direto ali da peixaria do supermercado Eurospin: assim foi tudinho iniciativa e arte dele, ok?
E para piorar, ao menos para mim, os pobres estavam vivos e frescos...
Nao curto nem um pouquinho esta possibilidade de trazer coisa viva para casa, para depois comer: é algo explicito demais para a minha sensibilidade, sempre foi.
Pq como costumo explicar, sou tendencialmente vegetariana. E sò nao fiquei pior de tanto pq os coitados nem podiam ser levados ao ponto de mar mais proximo, depois de terem feito um viajao vindos ali da Sicilia e, por isso, me resignei com o destino deles e com o almoço que me esperava...
Os da concha maior e com um toque de cor de laranja se chamam fagioline e os menores e cinzas se chamam telline, e sao parentes do vongole.
Como alguns bem devem ter percebido, em italiano o nome esta no feminino e para mim fica estranho tratar o tema deste modo assim hibrido.
Enfim..."os fagioline" precisam ser mordidos com cuidado pq costumam ter um tipo de perolazinha dentro.
Sò posso dizer que o caldinho que as acompanhava estava muito bom e saboroso.
E melhor ainda se acompanhado pelo pao rustico, aos 5 cereais, que eu tinha acabado de tirar do forno!
Oportunamente escreverei sobre os paes que tenho feito e tb colocarei algumas fotos deles, todos.
Mas a coisa é que esta idéia ainda esta no "forno"!!
Hihihi.

sábado, 18 de outubro de 2008

Nem todo erro é assim ruim...

Com toda a certeza, se eu nao tivesse "forçado a barra" ali com o meu Nokia e seguido os ditames minimos para se fazer uma foto decente, dificilmente teria obtido este belo efeito da luz, na lente, que salpicou a foto de arco-iris, dando um toque de magia ao bosque.
O que o acaso, ou melhor, "descaso", pode fazer pela gente...
Hihihihi!

Uma pausa pra reflexão, que fez o Leandro...


Estou tomando esta liberdade, neste post, pq acontece de alguém conseguir fazer muito melhor que a gente uma coisa.
E hoje mm, acabei de ler dois posts que me sensibilizaram e tocaram no fundo do coraçao.
Espero que aconteça o mm com quem ler o que eu estou apenas repassando aqui, tentando ser solidaria com todos que escreveram o que vcs lerao neste espaço ou, mm, acessando o blog deles diretamente.
Aproveitando, ja transcrevo o post que o Leandro, ali do Blog Cozinha Pequena(http://cozinhapequena.com/), compilou e comentou de maneira magnifica, sobre uma coisa que quase sempre passa batido na cabeça da gente.
E sempre dentro desta linha de pensamento, tb aproveito para recomendar que se passe ali no blog da Neide, http://www.come-se.blogspot.com/, onde ela faz um comovente relato do que seriam os restaurantes do "prato feito" a 1 real, ali em Sao Paulo, onde ela viveu em primeira pessoa a experiencia.
Para a gente poder aprender a valorizar aquilo que se tem e evitar o desperdicio, numa atitude que transcenderia qq tipo de prepotencia, de snobismo ou mesquinharia...
Aqui vai:

Uma pausa pra reflexão
Author: Leandro

"O Neto, do blog Updaters, escreveu um texto excelente pra se pensar sobre uma das situações que vivemos hoje em dia.Eu vou no embalo do Marcelo Tas e vou repercutir. É o mínimo que posso fazer.
Sei da importância do sistema financeiro mundial. Entretanto, o mundo do desperdício de recursos descontrolado, infelizmente, não vai aguentar tanto assim. Desperdício de dinheiro, de comida, de tempo.
Talvez, essa fosse a hora de algumas idéias serem revistas. Talvez seja impossível a gente, nas nossas cozinhas, nas nossas casas, mudar essa situação.
Mas, se não houvesse a primeira gota de água, talvez não houvessem os oceanos.
Vou fazer um slideshow para você.Está preparado? É comum, você já viu essas imagens antes.Quem sabe até já se acostumou com elas.Começa com aquelas crianças famintas da África.Aquelas com os ossos visíveis por baixo da pele.Aquelas com moscas nos olhos.Os slides se sucedem.Êxodos de populações inteiras.Gente faminta.Gente pobre.Gente sem futuro.Durante décadas, vimos essas imagens.No Discovery Channel, na National Geographic, nos concursos de foto.Algumas viraram até objetos de arte, em livros de fotógrafos renomados.São imagens de miséria que comovem.São imagens que criam plataformas de governo.Criam ONGs.Criam entidades.Criam movimentos sociais.A miséria pelo mundo, seja em Uganda ou no Ceará, na Índia ou emBogotá sensibiliza.Ano após ano, discutiu-se o que fazer.Anos de pressão para sensibilizar uma infinidade de líderes que sesucederam nas nações mais poderosas do planeta.Dizem que 40 bilhões de dólares seriam necessários para resolver oproblema da fome no mundo.Resolver, capicce?Extinguir.Não haveria mais nenhum menininho terrivelmente magro e sem futuro, emnenhum canto do planeta.Não sei como calcularam este número.Mas digamos que esteja subestimado.Digamos que seja o dobro.Ou o triplo.Com 120 bilhões o mundo seria um lugar mais justo.Não houve passeata, discurso político ou filosófico ou foto que sensibilizasse.Não houve documentário, ong, lobby ou pressão que resolvesse.Mas em uma semana, os mesmos líderes, as mesmas potências, tiraram da cartola 2.2 trilhões de dólares (700 bi nos EUA, 1.5 tri na Europa) para salvar da fome quem já estava de barriga cheia.

Um assunto chato pra se falar. Mas impossível de não se enxergar."

Uma minha nota:
Argumento de um sabor amargo, nao?...
Mas que, mm assim, nao deixa de mexer no estomago da gente.
Bjs!

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Parece mas nao é!



O que pode parecer um simples risòtto, em verdade é um guizadinho de legumes feito com farro.
Depois de eu ter falado de Hipocrates ali em baixo, nao me restava que usar um cereal até comentado ja la na Biblia e que tb era muito usado pelos romanos para fazer, inclusive, paes: o farro.
Hoje de uso quase que restrito, por aqui o encontro na sua forma rustica, perlado, em farinha e até o soffiato, para usar com leite ou iogurth, no café da manha.
Para se observar melhor cliquem sobre a foto que, assim, se ve em detalhes.
Obvio que para quem nao gosta ou nao conhece historia, estas informaçoes seriam irrelevantes e sò valeria dizer que o danado é muito bom e saudavel de se comer!...
E se quizerem mais informaçoes sobre este cereal, acessem: http://it.wikipedia.org/wiki/Farro
Se precisarem, usem o tradutor do Google ou do Yahoo para dar uma ajudinha, ok?
Pq alguém pode nunca vir a experimenta-lo, mas nao custa saber algo que tem um papel historico importante, n'é verdade...?


Unica e solitaria...

provavel: Verbascus thapsus, da familia scrophulariaceae
Por todos estes anos que faço este meu percurso de caminhadas, aos pés da cadeia de montanhas dos Apeninos que ladeiam o alto Tibre, nao tinha mais visto uma plantinha igual a esta...
Suas folhas lembram muito a da salvia e percebi que desponta de um caule robusto, que é quase sob a terra. E com a sua aste de delicadas florzinhas amarelas eu imagino que, talvez, seja o Verbasco, ja citado por Hipocrates e Plinio, pelos seus efeitos em afecçoes respiratorias.
Mas me esqueci de confirmar com o Gianluca, amante de botanica que até ja fez agronomia, se ele a reconhece como tal.
Se eu nao fizer nenhuma observaçao posterior, se confirma que é isto mm.
Poxa...uma planta que ja era exaltada por Hipocrates...!

sábado, 11 de outubro de 2008

Pudim de Wafer

Quase como de habito a minha natureza me leva a fazer isto e é uma coisa que vcs bem ja viram...
Depois de tentar varios, ler um monte e ter outro tanto de idéias, e de acordo com as minhas possibilidades, resolvi por junto a série de coisas que resultaram neste pudinzinho.
Ficou bonito, muito saboroso e delicado, tb: daqueles para se comer em "metades".
Diga-se...um terror!!

Pudim de Wafer
6 bolachas tipo wafer, sabor baunilha
2 ovos
2 copos de leite semi desnatado
4 colheres de sopa de açucar, cheias

Bater tudo no liquidificador.
Despejar em uma forma previamente caramelizada: e eu usei 3 colheres bem cheias de açucar, para isto.
Cozinhar em banho maria por cerca uns 20 minutos.

E dentro de critério e bom senso, variaçoes sempre vao muito bem!
Por exemplo: eu mesma acho um descabimento a quantidade de ovos que se colocaria em um pudim deste tipo. Para que, se a textura e o gosto, do meu ponto de vista, ficam muito melhor com MENOS ovos?!...
E se um é acostumado, e sabe como fazer dar certo, pode tentar assar no forno convencional ou no microndas.
E variar o sabor ou mm as bolachas que colocarà, de acordo com o gosto e a necessidade, tb.
Este meu pudinzinho eu estou tentando fazer chegar até o meu almoço de domingo: serà...?!

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Nas margens do rio Tibre

Uma planta que aprecia estar proxima à cursos d'agua e que fornece bastoes semelhantes ao bambu, sem ser tanto resistente quanto este: o junco. Também rico de uma historica e legendaria presença, ligada aos seres humanos.

Mapa do resultado da eleiçao

Se isto pode ter outros significados que sò ser "bonitinho", é melhor ler a cobertura completa, que explica o que aconteceu na ultima eleiçao no pais, ali no jornal "O Estado de Sao Paulo", de onde eu copiei este mapa, por exemplo.
http://www.estadao.com.br/nacional/eleicoes2008/

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Gratin Dauphinois

Bem...
As vzs a gente faz coisas se achando inédito. E mm mudando uma série de coisas, a gosto ou mm por necessidade, caimos num lugar comum.
Quer dizer, giramos que giramos, terminamos fazendo uma "variaçao do mm tema".
E caimos, sem saber, em um prato que se assemelha muito a um ja tradicionalissimo.
Pq uma vez que o ser humano esta sempre a cozinhar, desde seu aparecimento neste planeta, nao é de se espantar que isto aconteça.
E o mm se pode dizer de outros setores da vida: ninguém é inédito e sao poucas as coisas que podem deter este titulo, tb.
Mas, melhor nem discorrer neste argumento espinhoso, ja que sempre temos a tendencia de achar que tudo aquilo que somos ou que nos acontesse seria, por assim dizer, algo muito "exclusivo". Isto sem nem falar daqueles que se dao ar de serem para la de especiais, inimitaveis e insubstituiveis, até. Hihihihi.
Bom, a coisa é a seguinte: amo batata e amo queijo gratinado.
Dai, um prato que me atrai um monte é aquele que casa estes dois ingredientes, e isto é obvio, é claro...!
Por aqui fazem muito as variaçoes do famoso "Sformàto di Patate e Formaggio".
Mas eu ha anos faço, tradicionalmente, variaçoes do outro tanto famoso "Gratin Dauphinois".
A receita original levaria tb ovos, que eu dispenso sempre, e o queijo Gruyère tb, coisa que muitos cortam fora para deixar a preparaçao mais leve: coisas da vida moderna...
O basico seriam as batatas e o creme, com o toque do alho. Mas vi, tb, que alguns o substituem por um bechamèl, numa questao de gosto ou possibilidade.
Em resumo: permanece sempre a idéia da coisa, mais que a receita em si.
Como sempre!

Gratin Dauphinois
1kg de batatas fatiadas grossas
1 confecçao de creme de leite, (e tb, + a mm quantidade de leite: opcional)
1 dente de alho
200g, cerca, de gruyére
1 ovo
sal, pimenta do reino e noz moscada a gosto
As batatas é melhor dar uma ligeira pré cozida em agua ligeiramente salgada, para diminuir o tempo de forno da receita original, que as usa cruas.
Bater todo o resto no liquidificador, com exceçao do queijo.
Em um refratario untado dispor as camadas, intercaladas, de batata e queijo (que pode estar em fatias ou ralado grosso).
Jogar o creme por cima e levar para gratinar em forno bem quente, até que doure.

Devo salientar que fiz este prato para usar um Emmental suiço que pedia para ser usado, ali na minha geladeira.
Fica com um gosto mais delicado, mas é bom igual!
Ja fiz até com parmigiano, imagine...
E nao usei o ovo, como ja disse, além de ter usado meio creme de leite, meio leite desnatado, ja que tinha meia caixinha ja aberta.
O alho, caracteristico desta receita e que eu curto muito, sei que tem quem nao goste, dai...
Enfim, é uma receita sempre muito boa para salvar queijos, varios, perdidos ali no nosso refrigerador e aquelas batatas que estao pedindo agua, ali no cesto.
Os queijos que se "fundem" sempre proporcionam um resultado melhor, no que diz respeito à textura do prato.
Mas queijo e batata, nao importa, sao sempre uma combinaçao perfeita!