terça-feira, 26 de outubro de 2010

Quando se perde o norte...


Um meu amigo escreveu um outro dia sobre o sul, um sul magico.
E os pontos cardeais sempre tiveram, cada um deles, as suas proprias representaçoes literarias, imaginarias, metaforicas, culturais, utopicas, enfim...
Mas o que seria se um perde o seu "norte", assim como se usa dizer?
Hoje, por exemplo, eu nem tinha aberto o MSN e ja tinha uma manchete dizendo das primeiras imagens sexys de uma fulana no Big Brother, sob a ducha.
Ahm...?
Porque tem gente que até paga para ver 24/24hs esta porcaria.
Sem falar da noticia de um homem bebado que, entrando em uma rua na contramao, causou um acidente grave. E que acabou atirando e ferindo varias pessoas, além de matar o outro condutor coinvolto, que conduzia sua esposa gravida e nao havia cometido nenhuma infraçao...
E do relato do ultimo debate politico onde os candidatos sò se acusavam, mais uma vez, mutuamente. Em uma baixaria que ja virou uma norma, nestes tempos que correm.
Porque campanha politica, hoje por hoje, nada mais é que uma simples campanha publicitaria, onde de solido e verdadeiro, se tem muuuito pouco.
O que dizer daquela prima, garota de quinze anos, que ajudou o seu pai a matar a sua prima bonitinha que acreditava ser ela a sua melhor amiga, sò porque enciumada e invejosa?
Ou do Berlusconi que aprontou mais uma das suas?
E ainda, daquele pai que, junto a um seu sobrinho, matou a filha que queria se casar por amor e nao por uma obrigaçao, qualquer esta fosse?...
E se lembram daquele video da mocinha jogando cachorrinhos, um por um, em um rio gelado e ainda registrando tudo?
Ou de caçadores que pagam um dinheirao para caçar animais raros ou em extinçao, sem preocupaçao alguma com nada mais que nao seja a vaidade de ter um troféu na parede de suas casas?
Basta ver, por exemplo, o caso da morte daquele grande cervo conhecido como "Imperador", ali na Inglaterra.
E quem ja nao ouviu das pessoas que contratam e se servem do trabalho alheio e que, depois, dizem nao ter como pagar ou que nao pagam e basta, para depois desfilar com uma Mercedes ultimo tipo?
Ou da horda de individuos pelo mundo afora que, trabalhando duro, recebem salarios mensais de cerca 2 dolares? Se recebem.
Entao...
Podemos, cada um de nòs, desfiar uma lista infindavel de outras coisas "cabeludas", sejam de cunho publico ou mesmo pessoais.
Entao eu pergunto de novo: e quando um perde o seu norte?
Porque um caos assim, de nivel mundial, um dia ou outro tem que parar.
Ou nao?...

4 comentários:

Adriana disse...

Oi Clau que saudades , está tudo bem com vc? aqui tudo em paz, em termos né? seria tão bom se a humanidade ache o seu norte rsssss.
Beijos querida.

clau disse...

Oi Adriana!
Saudades minhas tb.
Sabe, começo a pensar que este tipo de "norte" nao faça mesmo parte do vocabulario de grande parte da humanidade...rss
Bjs!

Anakoelho disse...

Uma triste constatação,penso que sempre existirá pessoas ruíns... não sei se frutos do desamor ou da sua genética...,um mistério.
Sempre rezo pra não encontrar nenhum ser assim e pra que tenhamos uma humanidade mais humana de fato...
Bom domingo e ótima semana.

clau disse...

Ana, considere-se um pessoa fortunada, de nao ter cruzado com pessoas assim!
Elas sao poucas, mas estao por tudo e parecem ser mais, infelizmente...
Bjs!